As mais vistas

Vinhedo

19

Canalização de córregos em Vinhedo (SP) evita os transtornos causados pelas enchentes                              

 

 Utilizando processos diferenciados para a compra de materiais e a contratação de serviços, a Prefeitura canalizou os cinco córregos do município, com uma redução de 35% no custo total das obras  

O engenheiro civil Augusto Braccialli, secretário municipal de obras; ao lado de Milton Serafim, prefeito de Vinhedo 

 

Em Vinhedo, município do interior de São Paulo, que tem aproximadamente 65 mil habitantes, a Prefeitura implementou um programa de canalização de córregos que é exemplo de eficiência. Em 2009, já sob o comando do prefeito Milton Serafim, reeleito em 2012, a administração municipal começou a estudar detalhadamente o problema dos córregos, cuja responsabilidade ficou a cargo da Secretaria Municipal de Obras.

De acordo com o Engenheiro Civil Augusto Braccialli, secretário de Obras de Vinhedo, primeiramente foi feito um levantamento que identificou cinco córregos com problemas no município. “Sem a canalização, estes córregos corriam desordenadamente, com alto risco de inundações. Então, nós elaboramos os projetos e iniciamos as ações necessárias para execução das obras de canalização destes cinco córregos”, aponta.

O secretário de obras explica que foi feita uma composição de preços para se ter uma noção do valor que seria investido. “Após isso, entramos num programa do governo federal para tentar obter recursos, mas não conseguimos esse financiamento. Então, nós contingenciamos recursos próprios de R$49 milhões para as obras de canalização dos córregos”, disse.

Com a verba reservada, Braccialli e sua equipe resolveram adotar um novo modelo para licitar as canalizações. “Decidimos pela compra direta dos materiais a serem utilizados nas obras através de uma ata de registro de preços. Esta modalidade permite que licitemos o valor unitário de cada material para compras em um período pré-definido, por exemplo, 12 meses. Para a construção das obras de canalização, foram realizadas licitações para cada córrego a ser canalizado. Com este modelo, conseguimos realizar as obras por R$22 milhões. Uma redução de R$27 milhões”, relata.

Normalmente, as prefeituras contratam uma empresa que fica responsável pela obra como um todo – materiais e serviços. Segundo o secretário de Obras, em Vinhedo esse processo foi feito de forma diferente. “Definimos que as canalizações seriam executadas no sistema de gabiões, estrutura composta por caixas especiais de telas metálicas, preenchidas com pedras. Para tanto, elaboramos uma Ata de Registro de Preços para comprarmos os gabiões, outra Ata para comprarmos pedras, e fizemos uma Licitação para contratarmos as empresas que ficaram responsáveis pela execução das obras de canalização”, explica.

De acordo com Braccialli, esse método diferenciado de compra de materiais e contratação de serviços através de processos separados, resultou num ganho para a Prefeitura. “O preço dos gabiões e das pedras vendidas para nós ou para qualquer outra empresa seria o mesmo. O que não aconteceria se a construtora vencedora da licitação ficasse responsável também pela compra dos materiais, já que estes teriam um acréscimo no seu custo de no mínimo 35%, referentes a impostos e ao BDI (Benefícios e Despesas Indiretas)”, destaca.

 “Fazendo a licitação dessa forma, ou seja, contratando apenas para a execução dos serviços de construção das obras, quem ganhou foi a Prefeitura, pois reduzimos significativamente o custo das canalizações”, aponta Braccialli.

Ele faz questão de frisar que trouxe um pouco da sua experiência como engenheiro civil que atuava na iniciativa privada. “Na iniciativa privada, sempre se busca o menor custo, de todas as formas possíveis”, enfatiza. É bom frisar também que, no caso de uma Secretaria de Obras, é essencial ter um profissional da área conduzindo as obras do município.

Segundo Braccialli, a Maccaferri, empresa líder no segmento de gabião, foi a vencedora da Ata para o fornecimento de gabiões; a Galvani Engenharia e Construções foi a fornecedora de pedras; e a R. Pichini foi uma das construtoras que ganharam a Licitação para fazer as obras. O sistema de gabiões é considerado como um dos mais eficazes para canalizações urbanas, pois, além de ser drenante e de baixo impacto ambiental, é um sistema de construção simples, rápida e muito resistente ao tempo e às cheias.

Braccialli aponta que as obras de canalização de córregos trouxeram benefícios principalmente para a população de Vinhedo, pois o sistema utilizado acabou com os transtornos causados pelas enchentes. “Evita enchentes, o acúmulo de lixo nos córregos e proporciona um aspecto muito mais agradável ao entorno”, enfatiza.

O secretário Braccialli ressalta a importância das obras de saneamento básico para a saúde e o bem-estar da população. Ele destaca que o município de Vinhedo trata 100% do esgoto coletado. “No município, existem duas estações de tratamento de esgoto, então, todo esgoto coletado é tratado. Não se joga mais o esgoto no rio”, frisa.

O secretário de Obras de Vinhedo aponta a burocracia como um dos entraves da administração pública municipal no Brasil. “Na área privada as coisas andam porque a gente faz as coisas andarem. Eu trouxe um pouco da minha experiência na área privada para o trabalho que desenvolvo aqui na Secretária de Obras. Adotando uma postura de quem faz acontecer na prática, vai atrás da assinatura do gestor de recursos, sai em busca do aval ambiental etc., assim eu consegui agilizar os processos burocráticos”, enfatiza.

 

Braccialli conclui a entrevista ressaltando que tem mais um córrego a ser canalizado no município, obra que deve ser feita por meio de financiamento do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). “Este ano, também vamos investir na infraestrutura viária da cidade, pretendemos asfaltar 100% das ruas de Vinhedo, além de abrir mais ruas”, completa. 

Veja também

Seja o primeiro a comentar em "Vinhedo"

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.

*