Ministro admite erro ao pedir vídeo de alunos durante Hino Nacional

O Ministério da Educação (MEC) informou que enviará, ainda nesta terça-feira, 26, a escolas do país uma carta atualizada do ministro, professor Ricardo Vélez Rodríguez, com um pedido de “cumprimento voluntário” para que seja lida no primeiro dia letivo deste ano.

A nova versão da carta saiu depois de que a carta original foi divulgada, na qual o ministro pedia que fosse lida uma carta que continha o slogan de campanha do presidente Jair Bolsonaro ‘Brasil Acima de Tudo, Deus acima de todos’.  A medida foi alvo da oposição do presidente Jair Bolsonaro, que prometeu ir ao STF por conta da orientação.

Em nota, o MEC afirmou que a nova versão da carta foi “devidamente revisada a pedido do ministro, após reconhecer o equívoco, tendo sido retirado o trecho também utilizado durante o período eleitoral”.

A nova versão da carta com tem a seguinte redação:

“Brasileiros! Vamos saudar o Brasil e celebrar a educação responsável e de qualidade a ser desenvolvida na nossa escola pelos professores, em benefício de vocês, alunos, que constituem a nova geração.”

O pedido para que os alunos sejam filmados cantando o Hino Nacional continua . No entanto, o MEC afirma que a gravação “deve ser precedida de autorização legal da pessoa filmada ou de seu responsável”.

A atividade, segundo o MEC, faz parte da política de incentivo à valorização dos símbolos nacionais.

Be the first to comment on "Ministro admite erro ao pedir vídeo de alunos durante Hino Nacional"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*