Faltam duas semanas para o leilão do trecho sul da BR-101/SC

No próximo dia 21 de fevereiro, na Bolsa de Valores de São Paulo (B3), o Ministério da Infraestrutura, por meio da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), vai realizar o leilão do trecho sul da BR-101/SC. No total, 220 quilômetros serão concedidos entre os municípios de Paulo Lopes/SC e São João do Sul/SC – divisa do estado com o Rio Grande do Sul. O vencedor do leilão terá o direito de administrar a rodovia por 30 anos.

O edital prevê a tarifa-máxima de pedágio de R$ 5,19. No total, estão previstos investimentos da ordem de R$ 7,37 bilhões ao longo do período da concessão. Entre os benefícios gerados estão redução de custos operacionais, do tempo de viagem e do número de acidentes. A concessionária terá que construir, entre outras intervenções, 70 km de vias marginais, 98 km de faixas adicionais, 25 pontos de ônibus, 18 passarelas e 23 rotatórias. Além disso, 100% do trecho será monitorado por meio de câmeras, painéis de mensagem e sensores de tráfego.

O trecho concedido contará, ainda, com quatro postos de atendimento ao usuário distribuídos ao longo de toda a rodovia, quatro ambulâncias tipo C, duas ambulâncias tipo D, dois caminhões-pipa, dois caminhões para apreensão de animais, três guinchos leves e dois guinchos pesados.

Os 220 quilômetros que serão concedidos englobam os municípios catarinenses de Paulo Lopes, Garopaba, Imbituba, Laguna, Pescaria Brava, Capivari de Baixo, Tubarão, Treze de Maio, Jaguaruna, Sangão, Içara, Criciúma, Maracajá, Araranguá, Sombrio, Santa Rosa do Sul e São João do Sul. Quase 4 mil empregos serão gerados com a concessão, com previsão de retorno de R$ 645 milhões a esses municípios por meio da arrecadação da alíquota de ISS (Imposto Sobre Serviços).

 

info br101 sc

 

INOVAÇÕES – Para esta nova rodada de concessão, haverá regras mais rígidas para alterações contratuais por meio de revisões quinquenais e a introdução de um mecanismo de risco compartilhado entre concessionária e poder concedente para a execução de obras de manutenção de nível de serviço (faixa adicionais), caso gatilhos de tráfego sejam acionados. Além disso, o edital prevê a obrigatoriedade de pontos de parada e descanso para caminhoneiros ao longo da rodovia.

AUDIÊNCIA PÚBLICA – A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) recebeu contribuições às minutas de edital e contrato, ao Programa de Exploração da Rodovia e aos estudos de viabilidade para concessão da BR-101/SC. Duas sessões presenciais ocorreram em 2018, uma em Criciúma (SC) e outra em Brasília (DF).

Da Redação Prefeitos e Governantes

prefeitosegovernantes

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.