“Não é uma marolinha como muitos querem fazer crer.”

Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo confirmou nesta terça-feira, 17, que foi registrada a primeira morte pelo novo coronavírus no Estado. É o primeiro registro de óbito pela doença no País. A vítima era um homem de 62 anos que apresentou os primeiros sintomas no último dia 10 e morreu nesta segunda-feira 16.

O homem não tinha histórico de viagem e estava internado em um hospital privado desde o dia 14. Ele tinha diabete e hipertensão. O coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo, o infectologista David Uip, informou que a relação entre a doença e outros quatro óbitos que ocorreram no mesmo hospital é investigada.

“A pandemia afetou, num primeiro momento, a rede privada. Isso já era esperado pelo perfil dos infectados. Não tem, neste momento, o número de pacientes graves porque estão em hospitais privados”, diz Uip.

Ele explica que o ideal seria ampliar a realização de testes a todas as pessoas. No entanto, isso não é viável, justifica.

Paulo Menezes, coordenador de Controle de Doenças da Secretária Estadual da Saúde, disse que, no momento, o importante não é saber o número de pacientes com sintomas leves. O importante é saber quantos o número de casos graves — dado que o Estado não possui.

Em entrevista à CBN, o prefeito Bruno Covas (PSDB) lamentou a morte e destacou a gravidade da situação. “Isso mostra a gravidade dessa pandemia, que não é uma marolinha como muitos querem fazer crer.”

De acordo com o último levantamento divulgado pela secretaria, nesta segunda-feira, 16, foram registrados 152 casos no Estado. Segundo balanço do Ministério da Saúde, o Brasil tem 234 casos confirmados da doença, que estão distribuídos por 15 Estados e o Distrito Federal.

Da Redação Prefeitos e Governantes

prefeitosegovernantes

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.