SP deve prorrogar quarentena até o final de abril

O governador João Doria (PSDB) deve prorrogar a quarentena em São Paulo para conter o avanço do novo coronavírus por mais 15 dias. E a medida pode ser estendida por 15 dias além dessa nova prorrogação. A quarentena começou em São Paulo no dia 24 de março e teria validade até esta terça-feira, 7, mas será prorrogada até o final de abril. O anúncio deve ser feito em entrevista coletiva prevista para começar 12h30, no Palácio dos Bandeirantes. O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), também participará da entrevista.

O decreto do Estado de São Paulo determinou o fechamento do comércio e de serviços não essenciais, o que inclui bares, restaurantes e cafés, que só podem funcionar com serviços de delivery. Já os considerados essenciais, como farmácias e supermercados, podem abrir as portas.

Diferentemente do presidente Jair Bolsonaro, que fala em receio de crise econômica e pede a volta dos cidadãos ao trabalho, Doria tem defendido o isolamento social para frear o avanço da covid-19.

São Paulo é o Estado com o maior número de mortes e de casos do novo coronavírus. Boletim divulgado na tarde de domingo pela Secretaria Estadual da Saúde mostrava que o Estado tinha 275 óbitos. Os óbitos foram registrados em 33 cidades, com maior número na Grande São Paulo. Mas o números mostram que há um avanço nos casos também no interior. O Estado tem 4.620 casos confirmados.

O balanço mais recente do Ministério da Saúde, do final da tarde deste domingo, indicava que o País tem 486 mortes e 11.130 casos.

O avanço do coronavírus em São Paulo

Um documento do Ministério da Saúde que veio à público no final de semana mostrava que São Paulo, Rio, Ceará, Amazonas e DF caminham para ‘cenário imprevisível’ de casos de coronavírus. O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, afirmou no final de semana que esses Estados vivem uma transição de fase em relação às contaminações, saindo de uma situação de “epidemia localizada” para uma fase de “aceleração descontrolada”.

Estado também revelou no final de semana que o governo de São Paulo projeta 220 mil casos do novo coronavírus e prepara um pedido de empréstimo de US$ 100 milhões (mais de R$ 500 milhões) ao Banco Mundial para ações de combate à doença. O dinheiro seria usado para custeio de pelo menos 500 novos leitos de UTI.

prefeitosegovernantes

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.