Político x Redes Sociais



Nada melhor do que entrar no Instagram ou no Facebook e ver aquele post bombando de curtidas e comentários. Isso é sinal que você está indo no caminho certo, não é mesmo? Infelizmente não.

Com o volume de informações que recebemos da internet hoje, a nossa cabeça costuma ficar bem confusa com relação ao uso das redes sociais. A gente passa a acreditar que ela é a métrica perfeita para decidir se nossa vida política está indo bem ou não. Quando isso acontece, o nosso cérebro passa a associar o sucesso nas redes sociais com o sucesso na política, independente do que está sendo postado. Deixamos de enxergar que temos ali uma ferramenta importantíssima para difusão da mensagem e relacionamento com os eleitores e passamos a usá-la como “alimentadora de ego”.

 Muitos erros são cometidos por políticos nas redes sociais hoje. Entre os mais comuns estão:
1 – Não responder aos comentários e nem às mensagens privadas;
2 – Priorizar os posts de família porque geram mais engajamento em detrimento de suas causas, conquistas e ações;
3 – Postar notícias que estão bombando nas redes e de repercussão nacional sem nenhum envolvimento com suas causas ou bandeiras apenas para ter mais curtidas;
4 – Não usar as ferramentas de relacionamento ao vivo para conversar com os eleitores e extrair feedbacks;
5 – Ficar preso à card com arte sem postar fotos ou vídeos orgânicos em ação.

Dentro disso, é importante frisar que a essência das redes sociais não é a propaganda, é o relacionamento. Elas foram criadas para facilitar a comunicação entre amigos e familiares distantes, entre empresas e consumidores, entre políticos e seus eleitores.

* Saiba mais sobre eleições com a Revista Prefeitos & Governantes!

Mas para que você não fique perdido, vou te dar algumas sugestões de conteúdos que podem ser postados em suas redes e que vão ajudar as pessoas a se conectarem mais com você:
1 – Compartilhar sua visão sobre assuntos da atualidade que estejam ligados às suas lutas, causas ou região;
2 – Contar mais para as pessoas da sua história de vida e trajetória política;
3 – Prestar contas de suas ações na vida pública sem se autovalorizar;
4 – Apresentar e conversar com as pessoas sobre suas ideias, propostas e planos para melhorar sua comunidade.

E aqui eu reflito sobre o item 3 que menciona “sem se autovalorizar”. Além de transmitir uma arrogância desnecessária, ficar parecendo que o intuito da mensagem é manipular o eleitor a pensar algo sobre você. O que eu sugiro é: sempre que quiser destacar uma característica de sua personalidade coloque uma terceira pessoa falando sobre você ou conte uma história que demostre que você possua essa característica.

Além da produção de conteúdos de valor para um político, as redes sociais podem servir para se comunicar com mais eficiência através de ferramentas importantes e relatórios que hoje direcionam nossa comunicação. Algumas delas são:
1 – Possibilidade de segmentar o seu público para enviar uma mensagem específica a ele;
2 – Possibilidade de criar um relacionamento direto com seu eleitor (sem intermediários);
3 – Possibilidade de estudar os gostos e comportamento das pessoas que mais se engajam em suas redes;
4 – Criar um ambiente onde você controla quais são as notícias que quer divulgar e ser uma fábrica de pautas para jornalistas;
5 – Conseguir dar informação em tempo real através do story e do próprio feed.

É claro que as redes sociais tem infinitas possibilidades e aqui eu estou citando apenas algumas para você consiga deixar sua comunicação mais efetiva.

Agora, você precisa ter consciência que todo mundo quer saber da vida dos outros. Se você ficar postando apenas sobre sua vida, vai ganhar likes e seguidores. Mas será que esses seguidores vão votar em você? Será que eles estarão engajados em sua causa?

Existe uma pergunta que você pode se fazer para entender o seu público. O que motivaria o meu eleitor a votar em mim? Esse motivo é consistente? Eu votaria em alguém por esse motivo? E aí sim você vai conseguir ter uma noção mais clara do seu ponto de partida.

Mas posso te garantir que ser famoso não é o suficiente para que você vença uma eleição. Ser conhecido é extremamente importante, mas a sua reputação é que vai definir se essas pessoas que te conhecem vão votar em você ou não.

A construção da vida política é infinita. Ninguém é unânime em todo o tempo. Você pode ter sido o melhor prefeito ou político da história. Se parar de se comunicar bem, todo esse prestígio não servirá para vencer as eleições. Não existe uma linha de chegada na política. Você sempre pode ajudar sua comunidade a ser melhor, você sempre pode ter mais votos e prestígio. Ser eleito não é o final, é o começo de um novo trecho do caminho.

Aproveite as redes sociais para se relacionar e se comunicar bem com os seus eleitores. Estando atento à mensagem que está transmitindo e ao feedback dos eleitores.

Encerro esse artigo com uma frase de Warren Buffet para nos fazer refletir: “É necessário 20 anos para construir uma reputação e cinco minutos para destruí-la. Se você pensar sobre isso, fará as coisas de forma diferente.”

Paulo Ricardo Bomfim é consultor político, jornalista, palestrante e especialista em Comunicação e Marketing Eleitoral com aperfeiçoamento pela The Graduate School of Political Management (George Washington University, EUA). Trabalha na política há quase 10 anos e já coordenou diversas campanhas eleitorais no Brasil sendo vitorioso na maioria delas. É sócio-fundador do Grupo Povus Comunicação Política e atende políticos em mandato de diversas esferas do poder público.


LinkedIn
Share
Instagram
WhatsApp