Terceiro edital para restauro da Casa da Lomba, em Novo Hamburgo, é publicado

A prefeitura de Novo Hamburgo abriu novo edital para a contratação de uma empresa com responsabilidade técnica visando à restauração do imóvel denominado Escola Mayer, conhecida como a Casa da Lomba, em Lomba Grande. A sessão pública será realizada às 14h do dia 18 de abril. 

O projeto de restauro da Casa da Lomba foi contemplado em edital com R$ 1.074 milhão, com recursos do Fundo para Reconstituição de Bens Lesados (FRBL), gerido pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul. O valor atual de referência do certame é de quase R$ 2,2 milhões e o critério de avaliação das propostas será o de menor preço global. A empresa selecionada terá o prazo de execução da obra fixado em 12 meses, a partir da Ordem de Início dos Serviços.

A Casa da Lomba foi construída entre 1862 e 1864, resultado de mobilização popular liderada pelo professor Heinrich Meyer. Inicialmente o espaço foi pensado como um ambiente escolar, servindo também de moradia para o professor responsável, até o ano de 1915. Após isso, a casa também abrigou pastores da atual Comunidade Evangélica de Lomba Grande.

Mais recentemente, no ano de 2011, a Prefeitura adquiriu o imóvel e passou a utilizar o lugar como espaço cultural, oferecendo aulas e oficinas artísticas para a comunidade local. Em 2017 o espaço foi fechado devido às condições arquitetônicas precárias do imóvel, por falta de manutenção. Desde então, já foram abertos dois processos de licitação para o restauro da casa.

O secretário da Cultura, Ralfe Cardoso, esclarece os desafios enfrentados nas duas tentativas de licitação. “Por se tratar de uma obra complexa de restauro, são poucas empresas habilitadas no mercado para participar. Na última licitação, todas foram consideradas inabilitadas, levando ao fracasso do processo”.

Essa é a terceira chamada pública para empresas interessadas na obra. “Consideramos um importante patrimônio da cidade. A restauração é essencial para preservar sua arquitetura e história. Além disso, a comunidade também está ansiosa por esse restauro, pois é um espaço de aprendizado importante e acessível para todos”, complementa o secretário.

Fonte: Jornal Cidades

Início