Jader Filho é empossado ministro das Cidades

O Ministério das Cidades realizou nesta terça-feira (3) a cerimônia de posse do ministro Jader Filho, escolhido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para chefiar a pasta em seu governo. A solenidade foi realizada em Brasília (DF).

Jader, de 46 anos, é filho do senador Jader Barbalho e irmão do governador do Pará Helder Barbalho, ambos do Movimento Democrático Brasileiro (MBD). Ele também é presidente do diretório estadual do partido desde setembro de 2021 e empresário no setor de comunicações.

Uma das principais atribuições do nomeado será trabalhar para combater as desigualdades sociais, transformar as cidades em espaços mais humanizados e ampliar o acesso da população à moradiasaneamento transporte, as três áreas de interesse do Ministério das Cidades criada no primeiro governo Lula, em 1º de janeiro de 2003, sem desconhecer as competências municipais e estaduais. 

Entre as ações da pasta, há destaque para a coordenação do Programa Minha Casa, Minha Vida, criado no ano de 2009, para subsidiar a aquisição da casa ou apartamento próprio para famílias com renda de até R$ 1,8 mil, entre outras condições.

Em discurso, o paraense anunciou a criação da Secretaria Nacional de Políticas para Territórios Periféricos; afirmou que será ministro para o Brasil inteiro, respeitando as particularidades de cada região; e destacou os desafios de estar à frente de um ministério que foi extinto no governo Bolsonaro, após ser a aglutinação das pastas de Cidades e da Integração Nacional no superministério do Desenvolvimento Regional.

“Não assumo uma pasta que está a todo o vapor, em pleno andamento, ao contrário, eu e minha equipe precisaremos reconstruir um dos ministérios mais importantes da Esplanada. Nós precisamos refazer o Pacto Federativo, que será feito na base do diálogo e forças. Por isso, vou conversar com todos os governadores, prefeitos, deputados e senadores do País. Além disso, temos o desafio de fazer um governo participativo, aberto aos movimentos sociais e para esse diálogo, criamos a Secretaria Nacional de Políticas para Territórios Periféricos”, discursou.

Saneamento básico

Jader Filho garantiu que pretende dar atenção aos programas de saneamento básico. “Em 2020, foi aprovado o Marco do Saneamento. Não vamos limitar o investimento privado em saneamento. Ao contrário, vamos incentivar, mas sabemos que, em muitas áreas do país, especialmente nas mais pobres, justamente onde há pouco ou nenhum tipo de saneamento, não há interesse da iniciativa privada em investir. Nessas áreas, o poder público precisa agir”, garantiu. 

Jader Filho também defendeu diálogo com movimentos sociais e anunciou a criação de Secretaria Nacional de Políticas para Territórios Periféricos.

“São vocês [integrantes de movimentos] que trazem a experiencia e a demanda organizada de parcela da população que ficou desistida nos últimos anos”, concluiu.

Da Redação/ Foto: Divulgação

Início